A Coamo vai investir nos próximos anos R$ 250 milhões no Porto de Paranaguá. Deste total, R$ 106 milhões serão aplicados até o final de 2017 em melhorias no terminal portuário e nos novos projetos de ampliação da capacidade de movimentação de grãos no corredor de exportação. Em contrapartida, outros R$ 150 milhões serão aportados pela cooperativa em aumento da capacidade de armazenamento, melhorias na descarga de caminhões, construção de estacionamento e interligação ao corredor de exportação.

O presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, conta que o plano de investimentos privados para os portos do Estado prevê um cenário até 2030. “Estamos planejando nossos portos para o futuro. Isso porque nos próximos 15 anos a demanda de movimentação de cargas no Paraná deverá saltar das atuais 45 milhões de toneladas para 83 milhões de toneladas”, afirma Dividino.

Segundo ele, os investimentos em modernização dos terminais privados, por exemplo, vão refletir diretamente na agilidade dos carregamentos e nos ganhos de produtividade do Porto. “Para que se tenha uma ideia, a criação de uma nova modalidade de carregamento no Porto de Paranaguá, chamada superberço, reduziu em 15 horas o tempo de carregamento de um navio, que geralmente é de 48 horas. Com isso, tivemos um ganho operacional de 31,25%”, mencionou Dividino.

O objetivo desta nova regra operacional é atender a grande demanda de granéis sólidos para carga e descarga no Porto de Paranaguá com maior agilidade nas operações. “Queremos reduzir cada vez mais o tempo de espera para atracação e esta medida só está sendo possível porque, além dos investimentos da Appa em novos equipamentos, os terminais privados também estão fazendo a sua parte”, disse Dividino.

(foto: Appa)

link matéria
http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=92096