O vereador Dioclesio Antunes , destacou nesta quinta-feira (22) a redução da Taxa Selic para 6,5% anunciada pelo Banco Central. A nova taxa é a menor desde o início do regime de metas de inflação, em 1999, e a mais baixa de toda a série histórica do BC, iniciada em 1986.

“Os índices positivos e a inflação controlada demonstra que precisamos investir e criar cada vez m,ais empregos, país não pode mais esperar crises politicas e hora de avançarmos na nossa economia e fortalecer o poder de compra dos trabalhadores e empresários”, reforçou. Confira a noticia na íntegra:

BC corta Selic para 6,5% e indica novas reduções

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, decidiu nesta quarta-feira reduzir a Selic, em 0,25 ponto porcentual. Com isso, a taxa básica caiu de de 6,75% para 6,50% ao ano. É a 12ª queda consecutiva desde outubro de 2016. O comitê também sinalizou que poderá fazer um novo corte na sua próxima reunião. A nova taxa é a menor desde o início do regime de metas de inflação, em 1999, e a mais baixa de toda a série histórica do BC, iniciada em 1986. As informações são de Veja.

A redução na Seilc era esperada pelo mercado financeiro, segundo os dados do último Boletim Focus. Em sua última decisão, de fevereiro, o Copom havia sinalizado que encerraria o ciclo de redução da Selic e a deixaria em 6,75%. Mas o órgão do BC deixou em aberto a possibilidade de novo corte se as condições de inflação mudassem.

Como ritmo de aumento de preços continua fraco no início neste ano, os especialistas apostaram no novo corte. Essa aposta foi corroborada pelo Copom nesta quarta. “.O comportamento da inflação permanece favorável, com diversas medidas de inflação subjacente em níveis baixos, inclusive os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária”, disse a autoridade monetária.

O órgão do BC também deixou aberta a possibilidade de fazer uma nova redução na Selic no encontro marcado para os dias 15 e 16 de maio. “Para a próxima reunião, o Comitê vê, neste momento, como apropriada uma flexibilização monetária moderada adicional. O Comitê julga que este estímulo adicional mitiga o risco de postergação da convergência da inflação rumo às metas”. A última leitura do mercado financeiro, segundo o Focus, era de que a Selic fecharia o ano em 6,50%.

(foto: arquivo/google)