O vice-prefeito e secretário Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Eduardo Pimentel, vistoria os estragos causados pela chuva desta madrugada no bairro Parolin. Nesta terça-feira (6/6), a chuvas passaram de 102 milímetros, mais que o total esperado para todo os mês de junho em Curitiba.

“A pedido do prefeito Rafael Greca, a Prefeitura está atenta e atuante para conter um pouco dos estragos e dar resposta rápida e eficiente à população”, disse Pimentel. O vice-prefeito ressaltou que, no Parolin, a Prefeitura retomou no início deste ano a drenagem do Rio Belém, obra de R$ 120 milhões que estava paralisada. Quando estiver pronta, a obra deverá diminuiu alagamentos na região.

Madrugada

Segundo a Defesa Civil, a água baixou ainda na terça-feira por volta de 23h. A situação mais crítica foi registrada na esquina das ruas Canal Belém com a José Hauer, no Uberaba. Cerca de 100 residências foram atingidas, mas os moradores puderam voltar para as casas posteriormente.

No bairro Mossunguê, 15 famílias foram atingidas e resgatadas por equipes da Guarda Municipal, da Administração Regional e da FAS.

O Plano de Contingência da Defesa Civil foi acionado. As dez Regionais da Cidade foram atendidas com o acionamento das comissões de segurança, abrigo e operações. Equipes da Guarda Municipal, Defesa Civil e Cosedi passaram a noite em atendimentos diversos e a Prefeitura continua os trabalhos nesta quarta-feira, dando apoio aos que ainda necessitam de qualquer tipo de ajuda.

Para pedidos de atendimento e informações, qualquer pessoa pode ligar para o 153 da Guarda Municipal e Defesa Civil, 156 da Prefeitura ou 193 Corpo de Bombeiros.

Educação

As fortes chuvas alagaram quatro unidades escolares, que ficarão estarão fechadas nesta quarta-feira (7/6) para que possa ser feita a limpeza das unidades: a Escola Municipal Dario Velozo e o CMEI Barigui I, na Regional CIC, e os CMEIs Curitiba e Vila Torres, na Regional Matriz.

No caso das crianças do CMEI Barigui 1, elas serão atendidas provisoriamente no CMEI Hugo Peretti. As chuvas afetaram a rotina em 25 unidades escolares da rede municipal de ensino.

Abrigo

A Fundação de Ação Social (FAS) foi acionada nesta madrugada para atender uma família que ficou desabrigada na Vila 29 de Outubro, no Caximba. Os socorridos foram levados ao Cras Santa Rita, onde receberam alimentação, colchões e cobertores, e aguardam vistoria da Defesa Civil para poder voltar para suas casas.

A Casa da Acolhida Rebouças também foi alagada, sendo que 12 pessoas foram encaminhadas para a Casa de Acolhida do Bairro Novo.

Setran nas ruas

A chuva também causou danos em diversas ruas da cidade, que foram sinalizadas pela Setran durante a madrugada. Porém, em alguns casos, o material de sinalização foi roubado, precisando ser substituído.

Todos os casos de ruas danificadas constatados são repassados à Coordenaria de Obras de Curitiba, um setor dentro da Setran que dá os alvarás para todas as obras que acontecem em via pública, além de acionar a Sanepar e os distritos da Prefeitura de Curitiba para providenciar os reparos.

Locais com danos:

– esquina das ruas Deputado Heitor Alencar Furtado com a Avenida Mário Tourinho;

– esquina das ruas Desembargador Westphalen com a Avenida Visconde de Guarapuava;

– rua José Casagrande;

– rua Manoel Eufrásio;

– esquina das ruas Líbero Santa Ana Nunes e Dante Honório;

– esquina das ruas Abraão Winter e David Towns;

– rua Laudelino Ferreira Lopes.

Meio Ambiente

As equipes da arborização pública fizeram três atendimentos de quedas de árvores que aconteceram no início da noite passada no Cajuru e Guaíra. Um galho caído na CIC, na região do Passaúna, foi retirado na manhã desta quarta-feira.

Foram solucionadas ainda cedo ocorrências de quedas de galhos no Água Verde e no Novo Mundo. No bairro Vista Alegre, há uma queda de galhos em atendimento. Duas árvores, uma no Seminário e uma no Boa Vista, também estão sendo retiradas pelas equipes no momento. Não houve danos ou feridos.

Regional Fazendinha/Portão

Na Regional Fazendinha/Portão as equipes trabalham desde a noite de terça-feira (6/6) para resolver os problemas causados pelas fortes chuvas da tarde. Equipes de limpeza pública da Prefeitura estão fazendo um mutirão no bairro Parolin. Com a chuva da tarde de terça, os barracões de reciclagem ficaram alagados e o material reciclado se espalhou para os córregos e ruas da região.

Equipes da Fundação de Ação Social (FAS) também percorrem o bairro fazendo doações para as famílias atingidas pela chuva. O mesmo trabalho de cadastro é feito nos bairros Fazendinha e santa Quitéria. A FAS verifica quais famílias precisam de ajuda.

Regional Boqueirão

Na Regional Boqueirão, equipes de pontes e drenagem da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura atuam na limpeza de córregos e canais. Já as equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente trabalham na coleta de entulhos e lixo em pontos críticos de beiras de rio. A Defesa Civil da Regional acompanhando pontos de alagamento.
Regional CIC

As solicitações de 156 foram atendidas pela secretarias municipais de Obras Públicas e Infraestrutura, do Governo Municipal e da Saúde, a FAS e a Sanepar.

Equipes ainda vistoriam outros pontos da Regional CIC para ver onde são necessários outros serviços de limpeza, manutenção, retirada da lama e desentupimento. A administração regional orienta moradores a retirar o lixo das casas para recolhimento.

Pela FAS, todas as pessoas foram orientadas a procurar os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) nesta quarta-feira. Não há ainda registro oficial de quantas famílias foram atingidas, mas a FAS recebeu 16 protocolos via 156. Os Cras estão recebendo as famílias atingidas e, só depois disso, será possível ter um levantamento preciso.

As famílias em vulnerabilidade atingidas no CIC são das seguintes áreas: Vila Luana e Extensão do Rio Barigui (Cras Barigui), Vila Verde e Vitória Regia (Cras Vila Verde), Vila Jacira e Nossa Senhora Aparecida (Cras Nossa Senhora da Luz) e Vila Resistência (Cras Arroio).

Regional Matriz

Equipes de manutenção da Prefeitura trabalham desde o início da manhã desta quarta-feira (7/6) para recuperar a galeria de águas pluviais que foi afetada pelas chuvas, na esquina da Rua Desembargador Westphalen com a Avenida Visconde de Guarapuava. O trecho em obras está sinalizado desde as 8 horas desta quarta-feira.

Duas unidades da FAS foram alagadas: a Casa da Acolhida Rebouças (que atende pessoas em situação de rua) e a Unidade de Acolhimento Institucional (UAI) Mais Viver (que atende homens e mulheres em situação de risco pessoal e/ou social).

A UAI Mais Viver já está com a situação normalizada, a água baixou ainda na noite desta terça-feira (6/6), logo após a chuva passar.

Quanto à Casa da Acolhida Rebouças, desde o fim da tarde desta terça-feira equipe da FAS está no local com uma força-tarefa para reduzir danos e reabrir o local. Na noite desta terça-feira, 12 pessoas que estavam acolhidas no equipamento foram transferidas para a Casa da Acolhida Bairro Novo, assim como os alimentos.

Regional Boqueirão

Até o momento a demanda é a seguinte: Cras Alto Boqueirão (9 famílias) e Cras Iguape (12 famílias). Solicitações devem aumentar ao longo do dia.

Regional Cajuru

A FAS realizou cadastro das famílias. O Núcleo tem 65 cobertores e já recebeu 50 colchões do Disque Solidariedade para atendimento às famílias.