Em retaliação ao Governo do Estado que exige a publicação dos salários dos servidores e professores no portal da transparência, o reitor da UEM, Mauro Baesso, anunciou à Secretaria Estadual de Saúde que deve fechar parcialmente o hemocentro da universidade. O atendimento ficará restrito a meio-período a partir do início do próximo mês. A justificativa é a falta de pessoal.

As negociações estão ocorrendo, porém a reitoria continua irredutível, mesmo com os apelos contrários a paralisação de um serviço tão importante. O hemocentro é o principal fornecedor de sangue para hospitais de Maringá e da região. Enquanto isso, a UEM compromete cerca de 90 % do orçamento com pagamento de salários.