Uma parceria da Itaipu Binacional, Hospital Ministro Costa Cavalcanti e o Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de Foz do Iguaçu, entregaram nesta terça-feira, 10, o Centro de Medicina Tropical da Tríplice Fronteira – a primeira estrutura do gênero no sul do País. O centro é equipado com um avançado laboratório de biologia molecular, capaz de investigar todo o ciclo de doenças tropicais transmitidas por animais e insetos. Hoje, o Brasil conta com apenas outros dois centros com as mesmas características, no Rio de Janeiro e no Pará.

Será possível, por exemplo, confirmar em menos de uma hora se mosquitos Aedes aegypti capturados pelo CCZ estão infectados com o vírus de doenças como a dengue, a zika e a febre chikungunya. O CMT de Foz do Iguaçu terá ainda uma característica inédita no Brasil: é o único que poderá fazer exames em materiais genéticos tanto de animais como também de seres humanos.

A expectativa é que o novo centro preste serviços a outros municípios e hospitais e se transforme em polo de ensino, pesquisa e extensão, recebendo alunos e professores das universidades da região – como a Unioeste e a Unila.

A Itaipu Binacional investiu R$ 2 milhões para reformar e equipar o prédio do CMT e possibilitar a operação do centro por dois anos. O laboratório conta com equipamentos de ponta, como uma câmara de fluxo laminar, para manipulação de amostras, e o QuantStudio7, para diagnósticos.

(foto: Itaipu Binacional)