O prefeito Rafael Greca investiu R$ 1,7 bilhão na área da saúde em 2017, com recursos próprios do município somados a verbas recebidas das esferas estadual e federal. “Em 2017, a administração destinou quase um quarto do orçamento, o maior da história da Secretaria Municipal da Saúde, para aprimorar o setor. Ou seja, 22,01% da receita líquida do município foi para melhorar o atendimento nas unidades de saúde e nos hospitais da cidade”, disse.

Até este momento, o maior investimento na pasta (Secretaria da Saúde) havia sido registrado em 2015, com destinação de 21,2% do orçamento municipal. No ano seguinte, a fatia foi de 21,17%. Em 2013 e 2014, a porcentagem reservada à Saúde foi de 20,48%.

O investimento feito por Greca ajudou a quitar as contas deixadas pela gestão anterior e a iniciar projetos de melhoria no atendimento à população. “Um dos primeiros passos foi pagar os fornecedores de medicamentos, que se recusavam a entregar os produtos por conta de dívidas em aberto da gestão anterior. Curitiba pôde então voltar a comprar da indústria, reabastecendo a Farmácia Curitibana com medicamentos”, explicou Greca.

Segundo Greca, também foi possível extinguir as cotas para exames laboratoriais solicitados nos postos de saúde, acabando com uma fila represada de 55 mil exames. Atualmente, o Laboratório Municipal realiza 350 mil exames por mês, sem custo para o paciente.

“Tínhamos muitas contas a pagar da gestão anterior. Só de recursos para hospitais, pagamos em 2017 quase R$ 70 milhões de dívidas feitas entre 2013 a 2016. Graças à determinação do nosso prefeito e sua decisão de alocar os recursos necessários na Saúde, conseguimos colocar o trem no trilho. Agora, vamos fazê-lo andar”, destacou o prefeito Rafael Greca.

Entre outras ações, foram realizados os mutirões da estratégia Saúde Já, que tiraram mais de 150 mil pessoas das filas das especialidades.

O Aplicativo Saúde Já foi implantado em todas as 111 unidades de saúde, permitindo que os usuários agendem previamente o primeiro atendimento com a equipe de enfermagem e com a odontologia, evitando as filas da madrugada. Já são mais de 65 mil agendamentos.