O deputado Evandro Roman (PSD-PR) disse nesta quarta-feira, 2, que aceitar a denúncia contra o presidente Michel Temer significaria parar os recentes avanços do Brasil. “Não podíamos colocar em risco controle da inflação, a queda dos juros, a retomada do crescimento econômico, a geração de empregos e a continuidade das políticas públicas que beneficiam milhões de brasileiros”, disse.

Roman votou a favor do relatório da CCJ rejeitando a denúncia da Procuradoria Geral da República por corrupção passiva contra Temer. Dos 513 deputados, 492 votaram o relatório: 263 a favor e 227 contra duas abstenções.

Para o parlamentar, a rejeição da denúncia impediu um longo e desgastante processo de eleição indireta. “Aceitar a denúncia significaria também parar o Brasil para iniciar um processo de eleição indireta que irá acabar meses antes das eleições de 2018. E o Brasil não pode esperar.”, disse.

Evandro Roman destacou o problema da disputa política acima dos interesses da população. “Essas disputas políticas não podem condenar milhões de brasileiros que sofreriam com as consequências da desorganização e insegurança que vamos viver no caso do afastamento do presidente”.

Sobre o processo de investigação, disse ainda Roman: “Não me cabe julgar a ética e a moral do presidente nem se é inocente ou culpado. Recebemos da Procuraria Geral da República uma denúncia política e devolvemos com uma decisão política”.

E completou: “Nenhum governo consegue implementar políticas públicas em um ambiente de instabilidade e insegurança. Por isso minha escolha foi defender o Brasil que produz. Para o meu Paraná que trabalha, luta e produz, seria um desastre votar contra o relatório”