Por conta da crise e das dívidas herdadas, os novos prefeitos estão precisando ajustar as contas e, entre as medidas, alguns eventos estão sendo revistos. Em Curitiba, a Oficina de Música teve a data transferida de janeiro deste ano para o segundo semestre e agora é a vez do Carnaval passar por mudanças a fim de que seja realizado. Em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, a prefeita reeleita Beti Pavin anunciou o cancelamento da 54ª edição da Festa da Uva, um dos eventos mais tradicionais da região, em 2017. As informações são de Ana Ehlert no Bem Paraná.

A folia de Momo deste ano será diferente na Capital do estado. O Carnaval de Curitiba deste ano será “econômico” e o pré-Carnaval terá um novo endereço. Teremos o desfile das escolas de samba, mas sem a disputa entre elas”, afirmou Maurício Appel, diretor da Fundação Cultural de Curitiba (FCC). E o pré-Carnaval deve ser realizado nos dias 5 e 12 de fevereiro, na Avenida Cândido de Abreu, entre a Rótula João Turim e a Rua Barão de Antonina, no Centro Cívico. O desfile permanece na Avenida Marechal Deodoro (Centro) e será no dia 25 de fevereiro.

Com um valor herdado da administração anterior, a FCC tem disponível R$ 539 mil para realizar o evento, contando com os totais necessários a infraestrutura (grades, arquibancadas, etc) do local dos desfiles. Por conta disso, as escolas irão receber menos dinheiro neste ano. As do grupo A devem receber R$ 30 mil já as do grupo de acesso, R$ 18 mil.

Appel conta que a redução dos valores foi comunicada aos presidentes das agremiações em uma reunião ocorrida na última terça-feira, dia 3 de janeiro. “Por conta da situação economica atual, os próprios presidentes das escolas pediram que não houvesse, então, a competição entre elas”, explicou. “Nós já tivemos de cancelar a Oficina de Música e eles estão acompanhando a situação toda”, disse. A Fundação Cultural herdou uma dívida de R$ 2 milhões e 300 mil.

Em 2016, as escolas do grupo A receberam cada uma R$ 60 mil para os preparativos, e as escolas do grupo B (o grupo de acesso) R$ 36 mil. Desde 2012, Curitiba possui a Lei do Carnaval. A legislação regulamenta os repasses a realização das festas na capital. Os repasses de 2017 já estão previstos em emendas, no entanto, o texto ainda não foi analisado pela Câmara Municipal. Por isso, a previsão é de que as escolas só recebam o dinheiro na primeira quinzena de fevereiro.

No Carnaval deste ano cinco escolas fazem parte do grupo especial, o grupo A: a atual campeã Mocidade Azul, a atual vice-campeã Acadêmicos da Realeza, Imperatriz da Liberdade, Leões da Mocidade e Embaixadores da Alegria.O grupo B, o grupo de acesso, conta com três escolas: Império Real de Colombo, Unidos de Pinhais e Os internautas.

(foto: arquivo/google)

link matéria
http://www.bemparana.com.br/noticia/482768/nem-carnaval-de-curitiba-e-festas-da-rmc-escapam-da-crise-economica