O Paraná gerou 25.182 novos empregos com carteira assinada nos primeiro cinco meses de 2017. No mesmo período do ano passado, o estado registrou um saldo negativo de 9.382 vagas. Os dados do Caged foram divulgados na terça-feira, 20, pelo Ministério do Trabalho.

Em maio, pelo quinto mês consecutivo, o saldo (diferença entre contratações e demissões) foi positivo, em 2.379 vagas. Em maio do ano passado, o saldo no mês estava negativo em 3.388 postos de trabalho.

O Estado obteve o melhor resultado da região Sul, tanto no mês quanto no acumulado do ano. De janeiro a maio, Santa Catarina registrou saldo de 22.729 postos e Rio Grande do Sul (8.568). Em maio, Santa Catarina e Rio Grande do Sul tiveram resultados negativos de 614 e 12.220 vagas respectivamente. “O resultado demonstra que o Paraná realmente fez o dever de casa e retoma de forma conclusiva, objetiva e organizada o seu desenvolvimento, o seu crescimento”, diz o secretário da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Artagão Junior.

“Já são cinco meses de saldo positivo. Os dados confirmam o acerto das decisões do governador Beto Richa e das políticas públicas implantadas por nossa Secretaria. A expectativa é ainda melhor para os próximos meses”, afirmou. Entre as atividades, os destaques foram abate de suínos, aves e outros animais (1.004), construção de edifícios (547) e construção de rodovias e ferrovias (314).

As cidades que mais geraram emprego nos primeiros cinco meses do ano foram Cascavel (574), Maringá (467) e Sengés (281). Em Cascavel as contratações foram principalmente no abate (274 postos) e na construção de edifícios (145 postos). Em Maringá, puxaram as novas vagas a construção de edifícios, rodovias e ferrovias, que somaram 98 postos. Em Sengés, destaque para a indústria da madeira e atividades de apoio florestal, com 276 postos.

(foto: ANPr)