O deputado federal paranaense Alfredo Kaefer é um dos principais entusiastas do casamento entre Jair Bolsonaro e seu partido, o PSL. “Com alguns ajustes, Bolsonaro transforma o PSL em protagonista na próxima eleição“, diz. Mas seu entusiasmo vai além das razões políticas e tem um componente pessoal.

Kaefer é um dos principais desafetos do Livres, ala libertária da legenda comandada por Sérgio Bivar, filho do presidente do PSL, Luciano Bivar. Com carta branca de Luciano Bivar, o Livres vinha comandando o PSL em pelo menos 12 diretórios estaduais — o do Paraná não é um deles.

A expansão do grupo não acontece sem resistência interna. Kaefer foi um dos políticos “tradicionais” do partido que bateu de frente com as orientações do Livres. Ele chegou a ser ameaçado de expulsão pelo grupo após votar pela regulamentação do Uber na Câmara dos Deputados.

Contra

O Livres já se posicionou contra a entrada de Bolsonaro no partido em mais de uma oportunidade, mas a decisão final caberá a Luciano Bivar. O empresário pernambucano estaria inclinado a abandonar o projeto de longo prazo do Livres e colher os frutos imediatos da popularidade de Bolsonaro. “Os radicais livres vão ter que procurar outro partido”, aposta Kaefer.