A ampla maioria (90,5%) da população do Oeste do Paraná aprova Itaipu e confia (88,3%) na empresa, diante de baixas taxas de desaprovação (1,2%) e desconfiança (1%). As conclusões são de uma pesquisa feita com 1.102 pessoas, em 14 municípios da região, de 31 de outubro a 8 de novembro, a pedido da Itaipu. A avaliação também mediu a imagem de Itaipu para a Comunidade, classificada como “ótima e boa” para 85,5%, “regular” para 7,5% e “ruim e péssima” para somente 0,6%.

O levantamento da Radar Inteligência cobre um universo de 1.036.432 habitantes, o equivalente a 80% dos habitantes do Oeste. Entre as cidades abrangidas estão Foz do Iguaçu, Cascavel, Toledo e Guaíra. A margem de erro é de 3%. O grau de confiança é de 95%.

De forma espontânea, Itaipu foi lembrada como uma empresa pública importante para o desenvolvimento da região Oeste para a maioria dos entrevistados (92,5%). A pesquisa revelou, ainda, que a usina é um destino turístico desejado para uma parcela significativa (76,3%) dos moradores, responsável pela análise e aplicação de resultados da Radar Inteligência. “Itaipu está tão presente na vida das Comunidades da sua área de abrangência que despertou um forte sentimento de pertencimento na população. Essa imagem é hoje indissociável”, analisa o sociólogo Arilson Sabadin, responsável pela análise e aplicação dos resultados da Radar Inteligência.

A hidrelétrica foi também apontada como a corporação que mais contribui para o desenvolvimento do Paraná, com incidência de 7,3%, à frente da Copel (3,6%) e da Sanepar (0,3%). Em termos de Brasil, com 3% das citações, a binacional quase empata em importância com a Petrobras (3,2%).

“Percebemos que, para a população do Oeste, a relevância de Itaipu transpassa a produção de energia”, afirma Sabadin. Isso ajudaria a explicar, por exemplo, por que um quarto dos entrevistados (24,7%) respondeu que Itaipu é “importante, mas poderia contribuir com mais” à região. “Como a empresa não é vista exclusivamente como uma geradora de energia, o anseio por parte da população é maior”, completa.

Desde 2003, a binacional atua com missão ampliada, estimulando o desenvolvimento sustentável da sua área de atuação. Por esta razão, o estudo mensurou a contribuição da empresa em segmentos específicos: geração de energia e empregos, promoção do turismo, desenvolvimento regional, preservação do Meio Ambiente e integração do Brasil e Paraguai. Os resultados servirão como base para iniciativas futuras da empresa.

Os programas Cultivando Água Boa e Veículo Elétrico (VE) estão no mesmo patamar de aprovação, ambos com 98,8% das citações positivas entre o público que conhece o trabalho da empresa.

Adotado por Itaipu e parceiros em 29 municípios da Bacia do Paraná 3, o Cultivando Água Boa desenvolve ações socioambientais diretamente com a Comunidade. Hoje, o programa já tem boa capilaridade junto aos moradores, conforme mostra o levantamento. Oito de cada grupo de dez entrevistados conhecem o Cultivando Água Boa.