O Engenho da Inovação recebeu nesta terça-feira (17/10), às 19h, a edição especial do evento No Sofá da Haus. O evento contou com palestra do arquiteto e presidente do Reurb Orlando Ribeiro, que apresentou exemplos de reurbanização de áreas degradas no mundo e ações locais como as propostas do Plano Diretor da cidade e ações já realizadas que puxaram o debate e troca de ideias com os moradores do Rebouças, Prado Velho e região do Vale do Pinhão sobre a revitalização urbana das áreas.

A administradora Regina Maria Turek, que tem uma empresa na região, reforçou a preocupação para melhorar a situação do bairro. “É preciso pensar em uma ação que integre segurança, moradia, apoio e outras ações para evitar que os comércios fechem”, comentou. A preocupação também é da arquiteta Andréia Busato Schreiber. “É preciso pensar em ações de recuperação urbana na região aliadas à preservação histórica dos espaços com interesse de preservação”, comenta.

Vale do Pinhão

O especialista em marketing Paulo Guidalli apresentou sua preocupação com o impacto gerado pela nova igreja no bairro e como incluir as novas demandas geradas pelo empreendimento para o convívio local. “São estimados de 15 a 20 mil pessoas com a nova igreja, como o bairro irá se estruturar com isso?”, comenta. Sobre o empreendimento, que teve inicio da construção em setembro de 2014, o arquiteto Frederico Carstens analisou. “O impacto é equivalente ao funcionamento da PUC que possui entorno de 20 mil alunos, temos mais uma PUC aqui”, comenta.

O evento desta terça-feira integra as ações do movimento Reação Urbana e tem por objetivo fomentar a análise e a geração de ideias para a revitalização do Rebouças, do Prado Velho e do Vale do Pinhão. O movimento Reação Urbana é uma realização da Gazeta do Povo em parceria com a Oscip Reurb, o Vale do Pinhão e a Prefeitura de Curitiba.