O prefeito Rafael Greca afirmou neste sábado (28) que é preciso que a Justiça atenda o pedido da Procuradoria Geral do Município e transfira o ex-presidente Lula (PT) da sede da Polícia Federal em Curitiba. Para o prefeito, a mudança do local é uma das formas de diminuir o acirramento entre os manifestantes que são a favor e contra a prisão de Lula. “A paz social em Curitiba só depende da Justiça”, advertiu Greca.

O prefeito criticou as ações violentas que aconteceram na madrugada deste sábado, que culminaram com os ferimentos de pessoas, por disparos contra o acampamento dos manifestantes a favor do presidente Lula. Diante do fato, Greca determinou, ainda na manhã de sábado, que a Procuradoria Geral do Município reinterasse o pedido da mudança do presidente Lula para um local mais seguro. O protocolo feito na 12ª Vara Federal em Curitiba reforça solicitação anterior, feita em no dia 13 deste mês.

Nesta nova solicitação, a PGM cita o tiroteio que deixou feridos dois integrantes do acampamento da rua Padre João Wislinski, fato que motivou uma manifestação com barreira de fogo na rua Mascarenhas de Morais. A manifestação interrompeu por horas o trânsito na região, especialmente as linhas alimentadoras do Terminal Santa Cândida

Além de encaminhar a documentação à vara federal, o prefeito encaminhou mesmo pedido para o juiz Sérgio Moro; ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, Renato Bettega;  governadora do Paraná, Cida Borghetti;  aos representantes do Ministério Público do Paraná;  aos representantes do Ministério Público Federal; ao Conselho Nacional de Justiça; ao presidente do Tribunal Regional da  4º Região, Carlos Eduardo Thompson Flores; à presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz.

“O local oferece risco, transtorno à população, aos funcionários da própria PF, e atrapalha a rotina de prestação de serviços aos brasileiros que precisam da emissão de passaportes”, destacou o prefeito Rafael Greca.

Para minimizar a ocupação irregular no entorno da sede da Polícia Federal de Curitiba, no bairro Santa Cândida, a Prefeitura conseguiu, no dia 07 deste mês, um interdito proibitório, que fixou  dia multa de R$ 500 mil por dia, aos acampados de todos os movimentos sociais, fossem pró ou conta a prisão do ex-presidente. Depois o município participou da negociação que permitiu a transferência dos acampados até o um terreno particular.

(foto: Daniel Castellano/SMCS)