O ex-secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, participou nesta segunda-feira, 18, da sede do Samu em Almirante Tamandaré que vai atender ainda as cidades de Rio Branco do Sul, Cerro Azul, Adrianópolis, Doutor Ulysses, Itaperuçu e Tunas do Paraná. “Mais de 208 mil moradores que serão atendidos com esta nova base e agora 27 das 29 cidades da região metropolitana de Curitiba passaram a contar com o serviço do Samu”, disse Michele Caputo.

Quatro Barras e Campina Grande do Sul, os dois únicos municípios que não fazem parte do Samu, já sinalizaram que têm a intenção de participar do serviço. “Hoje, a cobertura do Samu atende 3,4 milhões de moradores de toda região metropolitana. É um serviço de excelência que salva vidas”, disse Michele Caputo.

Ainda no mesmo dia, a governadora Cida Borghetti autorizou o repasse de R$ 600 mil para a construção de mais uma unidade de saúde em Almirante Tamandaré e o adiantou R$ 120 mil referentes à construção de uma segunda unidade. Além disso, Cida também confirmou o repasse de mais R$ 200 mil para a compra de um aparelho de raio-X. As novas unidades de saúde serão construídas na região central e no bairro Vila Graziela, que até então não tinha local para atendimento.

Mais Samu – A nova sede do Samu terá cinco ambulâncias – duas atenderão Almirante Tamandaré e região e outras três ficarão em Rio Branco do Sul, Cerro Azul e Adrianópolis. Um deles, totalmente equipado, foi adquirido pelo Estado. O valor do investimento foi de R$ 215,6 mil. O Samu Metropolitano de Curitiba, que recebe do governo estadual R$ 1,2 milhão para custeio, conta com 43 ambulâncias de suporte básico e 15 de suporte avançado, já levando em consideração as aquisições de hoje.

O Paraná tem 12 Samus regionais, que têm 62 unidades de suporte avançado, 154 unidades de suporte básico, cinco helicópteros e um avião para atendimento da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), todos do Estado. No total, 343 municípios paranaenses, que concentram 90% de toda a população do Estado, são atendidos pelo Samu.

Diariamente, o serviço faz 1.700 atendimentos de emergência, 180 atendimentos com UTI móvel e sete atendimentos por meio do helicóptero. Além disso, encaminha todos os dias 980 pacientes para unidades de assistência e e atende 1.900 ligações. O custeio mensal do governo estadual com toda rede do Samu é de R$ 4,7 milhões.