O Paraná é o estado, entre 26 unidades da federação e o Distrito Federal, que aplicou o maior reajuste aos salários dos servidores públicos entre 2015 e 2017, aponta levantamento feito nas secretarias estaduais da Fazenda. No período, os reajustes no Paraná somaram 14,49% e em segundo lugar está Alagoas, com 11,6%. Em seguida estão Ceará (9,04%), Mato Grosso (8,55%), Tocantins (8,34%), Bahia (6,41%), Roraima (4,5%), Mato Grosso do Sul (2,94%) e Paraíba (1%).

Quinze estados e o distrito federal não deram qualquer reajuste: Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe. Acre e Piauí informaram que os reajustes foram apenas para algumas das categorias de servidores e não de forma geral como aconteceu com nove estados.

Além disso, pelo menos cinco estados estão com os salários atrasados ou parcelados: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e Mato Grosso estão com dificuldades para honrar os compromissos com o funcionalismo público.